Notícias
Santander é condenado por metas abusivas e adoecimento mental
11.Set.2019

Santander é condenado por metas abusivas e adoecimento mental

A Justiça do Trabalho decidiu condenar o banco Santander a pagar uma indenização de R$ 274 milhões por impor metas abusivas para trabalhadores e prejudicar mentalmente seus funcionários.

Conforme a sentença, o banco submetia seus funcionários a metas abusivas de produção. Em 2014, a média de afastamentos por acidente e doença mental ocupacional do banco foi de dois empregados por dia.

De 2012 a 2016, 6.736 bancários pediram a concessão de auxílio-doença no INSS. Desse total, 1.784 são ou foram empregados do Santander.

Além da multa por dano moral coletivo, a decisão também impõe ao banco a proibição de estabelecer metas abusivas. Deverão, a partir de agora, serem negociadas entre o banco e a entidade sindical da categoria.

Em outra ação trabalhista, o Santander foi condenado a pagar R$ 1 milhão em danos morais coletivos por assédio moral. (Proc. nº: 0000342-81.2017.5.10.0011 e Proc.nº 0000253-87.2014.5.10.0003) Fonte: Revista Conjur – 11 de setembro de 2019.

Comente essa publicação

Fale Conosco